SAFRA DE CANOLA SE DESENVOLVE BEM

13/AGO/2021

 

Cultura tem boa perspectiva de produtividade mesmo com as geadas de julho.


Por: AGROLINK -Eliza Maliszewski
Publicado em 13/08/2021 às 11:43h.


 

O Rio Grande do Sul é o maior produtor e canola do país, com safra prevista de quase 60 mil toneladas, uma alta de 90% em relação à safra passada e com área de 38 mil hectares, avanço de 10%.

No país além dos gaúchos somente o Paraná planta canola mas em proporção bem menor, com produção estimada em apenas mil toneladas. As geadas de julho provocaram prejuízos nas lavouras que estavam em floração e enchimento de grãos, mas poderão ser minimizados em função da possibilidade de essas plantas emitirem novas flores.

Durante a semana foi observada a condição das lavouras que estavam em floração durante as geadas: em algumas, notam-se danos às plantas que estão em formação das primeiras síliquas na parte basal dos racemos.

Nas áreas de implantação mais tardia, produtores relatam enrugamento das folhas em cultivos nas baixadas, por conta do forte impacto das geadas nesses locais. De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido e divulgando pela Gerência de Planejamento da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), em geral, os cultivos de canola encontram-se em ótimo aspecto e com boa perspectiva de produtividade.

Na regional de Santa Rosa, maior região produtora, a fase predominante dos cultivos  de canola é a do florescimento, que já atinge 55% das áreas, e avança em 29% das lavouras para enchimento de grãos.

A canola tem uso na indústria na produção de óleo de cozinha mas também pode servir de base para biodiesel e, o farelo resultante (34 a 38 % de proteínas), pode ser usado para a alimentação animal, na formulação de rações. 

Como regra geral, o uso de canola como cultura de rotação aumenta o rendimento de todas as demais culturas e reduz a incidência de doenças e de insetos-praga.